Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Portal Dados Abertos teve 210 mil acessos em 2013

Portal Dados Abertos teve 210 mil acessos em 2013
25/01/2014 07:45 - Agência Brasil


O Portal Brasileiro de Dados Abertos, que disponibiliza informações públicas variadas como indicadores de educação e gastos governamentais, recebeu cerca de 210 mil acessos em 2013. O número foi divulgado hoje (24) pelo Ministério do Planejamento, que gerencia a página. De acordo com o órgão, as visitas superaram em 90% as registradas em 2012. O portal foi lançado em maio daquele ano.

De acordo com o ministério, o conjunto de dados mais acessado foi o Portal de Convênios do Governo Federal (Siconv), que mostra as transferências voluntárias da União para estados, municípios, Distrito Federal e entidades privadas sem fins lucrativos. As informações desse sistema específico foram baixadas 49.502 vezes em 2013. Os dados relativos ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ficaram em segundo lugar, com cerca de 22 mil acessos. Em terceiro, veio a malha geométrica dos municípios brasileiros, mapa elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com 15 mil visitas.

De acordo com o Planejamento, também se destacaram os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), inflação oficial medida pelo IBGE, e a destinação do lixo domiciliar, dados sobre distorção entre idade e série na educação básica e informações sobre população economicamente ativa por sexo.

As informações do portal estão disponíveis para todos utilizarem e distribuírem, sem restrições de licenças e patentes. A diferença entre o site e os portais de transparência é que os primeiros dão acesso somente aos gastos de órgãos públicos, enquanto as informações disponíveis no Dados Abertos abrangem qualquer assunto ou categoria.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.