Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MAIS UM CASO

Porco-espinho fere cachorro com mil espinhos

Porco-espinho fere cachorro com mil espinhos
24/08/2012 10:00 - Fábio dorta


Um cão da raça doberman foi atacado por um porco-espinho na madrugada de ontem em um sítio em Indápolis, distrito de Dourados. Ele foi trazido pelo proprietário ao hospital veterinário da Unigran, local em que foram retirados mais de mil espinhos, quase todos na boca e no rosto.

Os médicos veterinários e assistentes demoraram cerca de três horas para realizar o procedimento, que foi feito com sucesso. Este foi o terceiro caso registrado em Mato Grosso do Sul esta semana, os outros dois ocorreram em Coxim e São Gabriel do Oeste, na região norte do Estado.

O porco-espinho, que é um animal silvestre comum nas matas da região e utiliza como principal mecanismo de defesa soltar espinhos quando é atacado por outros animais. Os casos envolvendo cães têm ocorrido com certa frequência nos últimos anos em Mato Grosso do Sul.

O caso de ontem envolveu o cão ‘Bobi’ que é adulto e entrou em confronto com o porco espinho quando caçava. Bastante ferido, ele retornou para a residência de seu dono que, percebendo a gravidade do caso percorreu os cerca de 30 km do distrito até a sede do município, onde fica o hospital veterinário.

O médico veterinário que atendeu a ocorrência, Dheywid Karlos Mattos, afirmou que depois de retirados os espinhos, o cão recebeu antibióticos e anti-inflamatórios, com o objetivo de evitar infeções. “Nós tivemos de ter muito cuidado na retirada para evitar que algum espinho quebrasse e ficasse preso dentro do corpo, isso poderia ocasionar uma infecção”, afirmou Mattos. 

Felpuda


Vereador de Campo Grande fez pronunciamento com forte teor preconceituoso que obviamente não agradou, principalmente as mulheres. A repercussão negativa foi grande e ele teve de ler cobras e lagartos em seu perfil nas redes sociais. Assim, correu para publicar nota de esclarecimento tentando colocar panos quentes e se comprometendo a, já na próxima sessão, solicitar a retirada de sua fala dos chamados “anais da Casa”. Também, pudera!