Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FORAGIDOS

Por telefone, assassino de militar diz que ele e comparsa não se entregarão

Por telefone, assassino de militar diz que ele e comparsa não se entregarão
25/06/2012 10:20 - VÂNYA SANTOS


Em contato com policiais, por meio de telefone celular, Ronaldo dos Santos, de 39 anos, garantiu que nem ele nem o comparsa de apelido Bugão se entregarão. Os dois são apontados como responsáveis pela morte do soldado da Base Aérea de Campo Grande, Renato Dec Barbosa, 21 anos, no último sábado à noite.

Os dois teriam assassinado o militar depois de uma discussão por motivo fútil no Bar Braga Lanches, na Rua General Alberto Carlos Mendonça Lima, Bairro São Conrado. De acordo com a polícia, tudo começou quando Bugão, Ronaldo e sua esposa saíam do bar num veículo Gol, quando Ronaldo colidiu com uma motocicleta, não causando danos. O condutor pediu desculpas e o dono do veículo aceitou.

Enquanto isso, Bugão perguntou o que Renato estava olhando. Os dois discutiram, mas em seguida os ocupantes do Gol foram embora. Cerca de meia hora depois os autores voltaram. Bugão efetuou dois disparos contra a vítima, que morreu no local, e também baleou outras três pessoas que estavam sentadas na mesa do militar.

O carro foi localizado na casa de Ronaldo, que também fica no São Conrado. Tanto o veículo quanto as roupas usada por Ronaldo no momento do crime foram apreendidas. O caso está sendo apurado por investigadores da 6ª Delegacia da Capital.

Felpuda


Certa pré-candidatura à Prefeitura de Campo Grande nasceu com grandes brechas que certamente serão usadas pelos adversários no período da campanha eleitoral, segundo voz corrente nos bastidores políticos. Uma delas: como o postulante vai dizer que fará boa administração se no período em que administrou conhecida instituição passou boa parte do tempo reclamando de crise financeira e ameaçando fechar as portas?