Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 24 de fevereiro de 2019 - 02h18min

População ameaçada de ficar sem alimentos

20 JAN 10 - 04h:40FÁBIO DORTA, ENVIADO ESPECIAL, NOVO HORIZONTE DO SUL
A situação em Novo Horizonte do Sul, município com cerca de 6,5 mil habitantes, localizado a 350 quilômetros de Campo Grande, é extremamente crítica. Temporal que caiu na madrugada do último sábado, dia 16, destruiu nove pontes, além de galerias e tubulações, e comprometeu cerca de 260 quilômetros de estradas, principalmente na zona rural. Mercados e mercearias ficaram ameaçados de desabastecimento, o que implicaria na falta de alimentos para a população. Por enquanto, a situação está controlada. Porém, se voltar a chover forte, há o risco de a região ficar totalmente isolada, impedindo os estabelecimentos comerciais de receber produtos. Faltou combustível no único posto da cidade, porque o caminhão da distribuidora não podia chegar ao município. Chegar ao município exige muita paciência e, principalmente, torcer para que não volte a chover forte. A ponte sobre o Rio Kurupai, na rodovia MS – 475, caiu com a força da água e a Prefeitura Municipal, com apoio da Agesul, fez um desvio por estradas vicinais de cerca de 15 quilômetros de extensão. A maior parte do trecho é estreita e com enormes valetas que podem a qualquer momento aumentar e provocar a interdição da pista. O prefeito Marcílio Alves Benedito (PMDB) decretou ontem estado de calamidade pública, que para entrar em vigor precisa ser homologado pela Defesa Civil do Estado. “Vou a Campo Grande amanhã (hoje) entregar o decreto pessoalmente ao governador (André Puccinelli)”, afirmou. Pelos cálculos da prefeitura e da Agesul, serão necessários cerca de R$ 6 milhões para recuperar todo o estrago. “Metade desse valor é a parte dos estragos na rodovia e em estradas estaduais. O restante é em estradas do município e nós não temos recursos para custear as obras. Vamos ter que pedir ajuda ao governo federal”, acrescentou Benedito. O prefeito afirmou que o município é o que menos arrecada em Mato Grosso do Sul, cerca de R$ 5,5 milhões por ano. Estragos De acordo com a Secretaria de Obras do município, 131 imóveis na cidade e 62 na zona rural foram atingidos pelo temporal e muitas casas ameaçam desabar. A população teme que a cidade afunde. A secretária de Assistência Social, Margarida Matheus da Silva, informou que 11 famílias foram retiradas de suas residências e estão em casas de familiares. Um casal de idosos, que não tem família na cidade, está desde o final de semana no Hospital Municipal Novo Horizonte. Ontem uma equipe contratada pela Agesul iniciou uma obra emergencial na MS – 475, a cerca de dois quilômetros do centro da cidade, onde outra parte da pista cedeu, abrindo uma enorme cratera. No local, que é chamado pelos moradores de antiga represa, será construído um desvio. Com isso, o trajeto por terra para chegar a Novo Horizonte do Sul será reduzido em mais de 10 quilômetros. Conforme o prefeito ainda não existe prazo definido para que a ponte sobre o Rio Kurupai seja recuperada. As obras naquela região ainda não começaram. “Esperamos que isso possa ocorrer o mais rápido possível, porque é uma prioridade”, finalizou o prefeito.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Promotoria abre inquérito após shopping de SP pedir autorização para apreender meninos de rua

BRASIL

Chanceler diz que ação na Venezuela não tem caráter intervencionista

Mãos que falam:
LUIS PEDRO SCALISE

Mãos que falam: "Em tempos de Dieta"

VENEZUELA

Maduro discursa para apoiadores e critica ajuda humanitária

Mais Lidas