ARENA INDEPENDÊNCIA

Ponte Preta vence, quebra série e afasta Cruzeiro

Ponte Preta vence, quebra série e afasta Cruzeiro
05/08/2012 19:32 - terra


A Ponte Preta soube aproveitar os erros da defesa do Cruzeiro para quebrar a série de quatro jogos sem vitória. Em partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena Independência, o time campineiro derrotou os donos da casa por 2 a 1, na noite deste domingo. Cicinho e Marcinho marcaram os gols do triunfo, enquanto Borges descontou para os mineiros.

Em jogada de velocidade, a Ponte Preta abriu o marcador aos 17min do primeiro tempo. Cicinho recebeu bom passe de Marcinho e tocou na saída de Fábio para colocar os campineiros em vantagem. Borges aproveitou rebote de boa jogada de Montillo para igualar o placar aos 47min da etapa final. Mas logo aos 2min do segundo tempo, Marcinho cobrou falta de longe, o goleiro Fábio falhou e o time visitante conseguiu chegar ao segundo gol.

A derrota impede o Cruzeiro de acompanhar os rivais que brigam pelo G-4 do Campeonato Brasileiro. Agora, o time está em oitavo lugar na classificação com 23 pontos, mas quatro atrás do quarto colocado Grêmio. O próximo adversário da equipe mineira será o Santos, quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Já a Ponte Preta interrompe sequência negativa de quatro partidas e assume a nona colocação com a vitória. Com 19 pontos, os campineiros abrem sete para o Bahia, primeiro time dentro da zona de rebaixamento. A equipe volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Grêmio, às 21h (de Brasília), no Moisés Lucarelli.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".