Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Ponte espera colocar fim a tabu de quatro anos

6 MAR 2010Por 17h:00
     

        Da redação

        Após uma bela arrancada no Campeonato Paulista, a Ponte Preta entrou em declínio a partir da oitava rodada. São apenas quatro pontos somados nos últimos 15 disputados e três jogos sem vitória. Para acabar com esta má sequência, o time campineira tenta acabar com um tabu de quatro anos sem vencer o São Paulo, neste domingo, em Campinas, pela 13 ª rodada.
        A última vez que a Ponte conseguiu bater o time do Morumbi foi em 19 de outubro de 2005, pela 10.ª rodada do Brasileirão. Este foi um dos duelos remarcados pelo escândalo envolvendo o árbitro Edilson Pereira de Carvalho na venda de resultados para apostadores. No confronto original, o time campineiro ganhou por 1 a 0, no dia 2 de julho. O jogo, então, foi cancelado e os alvinegros venceram o novo duelo por 2 a 0, em Campinas, com gols do atacante Izaías e do meia Elson.
        Desde então, as duas equipes disputaram seis partidas, com quatro vitórias são-paulinas e dois empates. Neste Paulistão, no entanto, a Ponte perdeu nas últimas duas apresentações em casa, diante do Oeste, por 3 a 1, e Sertãozinho, por 3 a 2.
        Para tentar reencontrar o caminho das vitórias, o técnico Sérgio Guedes terá dois importantes desfalques. O curinga Guilherme está suspenso por ter recebido o terceiro amarelo, enquanto o volante Deda será poupado por conta de uma lesão na virilha. As ausências forçaram o treinador a mais uma vez alterar o meio-de-campo. O mais provável é que os volantes Galiardo e Danilo Portugal, recuperado de contusão, assumam as duas vagas.
        "O time se comportou bem melhor do que nos jogos anteriores. Até poderíamos ter saído de campo com a vitória, caso tivéssemos aproveitado melhor as chances", comentou Guedes. Que vai manter o garoto Diego na defesa, uma vez que Evaldo continua vetado pelos médicos. (do Estadão)
        
        

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também