quinta, 19 de julho de 2018

segundo turno

Políticos presos na Operação Uragano não poderão votar

29 OUT 2010Por Fábio Dorta, de Dourados 03h:50

 

Como ocorreu no primeiro turno das eleições, os políticos presos na Operação Uragano da Polícia Federal e que ainda estão na cadeia não poderão votar neste domingo, dia 31. A informação foi confirmada ontem, pelo chefe do cartório da 18ª Zona Eleitoral de Dourados Conrado Rezende Soares.

De acordo com Soares, embora o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garanta o direito de voto aos presos provisórios a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) comunicou que não há condições para garantir a segurança dos servidores da justiça eleitoral que teriam de instalar urnas eletrônicas nos presídios.

Conforme o chefe do cartório eleitoral, neste caso, a justificativa de voto terá de ser efetuada pela própria justiça eleitoral. "Como eles estarão impedidos de votar, nós lançaremos através do próprio sistema da justiça eleitoral a justificativa pela qual eles se ausentaram na votação", afirmou Conrado Soares.

Estão presos em Dourados na Penitenciária de Segurança Máxima Harry Amorim Costa (Phac), o vice-prefeito Carlinhos Cantor (PR), os vereadores Humberto Teixeira Júnior (PDT), Sidlei Alves (DEM) e Cláudio Marcelo Hall, o Marcelão (PR), além do suplente de vereador Edivaldo Moreira (PDT) e do advogado Alziro Moreno que era Procurador-Geral do Município.

Também ficarão sem votar a primeira-dama do município Maria Aparecida de Freitas (Maria Artuzi) e as ex-secretárias municipais de Finanças Maria Ignes Boschetti Medeiros e de Administração Tatiana Moreno (que é esposa de Alziro). Elas estão no presídio semiaberto feminino.

Leia Também