Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

FLAGRANTES

Policiais prendem 45 por crimes eleitorais

4 OUT 2010Por Vânya Santos e Anahi zurutuza03h:30



Pelo menos 45 pessoas foram detidas ontem em Mato Grosso do Sul pela prática de crime eleitoral. Três das 12 pessoas detidas na Capital continuam presas, acusadas de compra de votos e transporte de eleitores. Durante a votação, também foram registradas irregularidades como boca de urna, desordem, venda de bebida alcoólica e desobediência com relação a determinações da Justiça Eleitoral.
Em Campo Grande, duas mulheres, que não tiveram os nomes divulgados, eram fiscais da coligação Amor, Trabalho e Fé e foram flagradas por delegadas da coligação adversária A Força do Povo,  com R$ 3 mil em espécie que serviria para o pagamento de eleitores. Uma terceira pessoa foi flagrada quando transportava uma eleitora para votar.
De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal, o primeiro caso aconteceu, pela manhã, na Escola Municipal Wanderley Rosa de Oliveira, no Bairro Novo Maranhão. Fiscais da coligação “A Força do Povo” desconfiaram de duas delegadas que trabalhavam para a chapa adversária e pediram para que elas abrissem uma caixa que carregavam nas mãos. Houve confusão no local.
Policias militares verificaram que na caixa havia envelopes contendo R$ 70 (em cada um) e material de divulgação da campanha de André Puccinelli. As duas mulheres alegaram que o dinheiro serviria para pagar os fiscais e custear a alimentação. Até as 17h30min de ontem, as duas ainda estavam presas e só sairiam mediante pagamento de fiança, cujo valor não foi divulgado.
Uma outra mulher foi presa por transportar uma índia do Bairro Tarsila do Amaral, na saída para Cuiabá, para votar na Aldeia Marçal de Souza. Ela trabalhava para um candidato a deputado estadual. Mais duas mulheres fiscais da chapa do atual governador foram detidas por fazer boca de urna, mas foram liberadas depois de prestar depoimento.

Interior
Dezenove pessoas foram detidas no interior do Estado pela prática de boca de urna. Os casos foram registrados pela Polícia Civil nos municípios de Chapadão do Sul, Miranda, Tacuru, Antônio João, Sonora, Jardim, Camapuã, Bataguassu, Sidrolândia e Guia Lopes da Laguna. Cinco dos seis casos de desordem, que prejudicaram os trabalhos eleitorais em Mato Grosso do Sul, foram registrados em Rio Verde. A outra ocorrência foi em Bela Vista.
Seis pessoas foram detidas por desobedecerem a determinações da Justiça Eleitoral, como vender bebida alcoólica, transportar eleitores e transitar com veículo de campanha. Os casos ocorreram em Corumbá, Selvíria, Coronel Sapucaia, Jardim e Guia Lopes. Dois homens, de 35 e 44 anos, foram acusados de comprar votos em Bataguassu.

Leia Também