CAMPO GRANDE

Polícia tem pistas dos acusados de matar jardineiro

Polícia tem pistas dos acusados de matar jardineiro
25/02/2014 10:14 - VÂNYA SANTOS


A polícia garante já ter pistas dos acusados de roubar e matar o jardineiro Oronildo Menezes, de 43 anos. O latrocínio aconteceu na casa da vítima, que fica na Rua Virgílio Alves Chevaes, Bairro Monte Carlo, em Campo Grande. Ainda conforme a polícia, a namorada do jardineiro, Reginete Gurgel dos Santos, e um homem apontado como seu amante, são os principais suspeitos.

Um irmão de Oronildo contou à polícia que ao chegar na casa da vítima viu que o portão estava apenas encostado. Ele então entrou e se deparou com o irmão nu e morto num dos cômodos. O jardineiro foi morto com facadas no tórax, abdômen, rosto e perna direita.

Testemunhas relataram que a vítima, Reginete e um rapaz passaram o dia consumindo bebida alcoólica e maconha. Oronildo e a mulher moravam juntos desde o final do ano passado e o homem, suspeito de ser seu amante, estava hospedado na casa da vítima a pedido de Reginete.

Ainda conforme testemunhas ela tem passagem pela polícia, está evadida do regime semiaberto do sistema prisional desde o dia 20 de dezembro de 2013 e trabalhava numa boate, próxima a casa do jardineiro.

Depois de matar Oronildo, os assassinos fugiram com um veículo Escort, carteira, celular e um televisor da vítima. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".