Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

POLÍCIA ? Sexo, inveja e frieza no "crime da mala"

2 JUL 2010Por 22h:00
     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Um crime bárbaro que parece não ter causado nenhum tipo de arrependimento na principal acusada de ter assassinado Kelli Queirós da Silva, 20 (foto acima), no mês de maio deste ano. Em depoimento prestado hoje (02) à delegada Elizabeth Cardoso, da Seccional da Cidade Nova, em Ananindeua (Pará), Poliana Lima Santos, "Thamires", 18 anos (a de cabelos curtos na foto abaixo), disse que faria tudo novamente e que ainda seria capaz de queimar o corpo da vítima. Além de Poliana, foram presos Diego Corrêa Bahia, 25, cunhado dela, Rosicléia Ramos Amaral, "Rose", 25, e Jéssica Cristina Sanches Vieira, 20.

  A delegada assumiu o caso no dia 2 de junho, um dia após a descoberta do corpo. Na ocasião ainda era difícil encontrar os criminosos, já que a vítima ainda não havia sido identificada. Somente a partir do último fim de semana, quando a moça foi identificada , é que a polícia seguiu um novo rumo.

  Várias pessoas foram ouvidas, dentre elas, amigos de Kelli, a diarista que trabalhava na casa dela e o namorado da vítima que, segundo a polícia, não era tido como suspeito.

  "Ele não era suspeito, apenas foi intimado como outras pessoas, até porque vários documentos, como a conta de luz da casa da vítima, estavam no nome dele", afirmou a delegada Elizethe.

  As denúncias por meio do disque denúncia (181) foram fundamentais para que se chegasse aos culpados pelo crime da "mala". Além disso, o trabalho de investigação foi muito importante. A polícia teve acesso ao controle de entrada e saída de pessoas no condomínio onde a vítima morava, no Jardim Pindorama, bairro do Coqueiro, em Ananindeua. Lá, constavam informações de que no dia 25 de maio, "Thamires" foi até a casa da vítima e a convidou para um programa naquela noite. Por volta das 17h do mesmo dia, "Thamires" foi novamente até a casa de Kelli, levada por Diego. As duas, além do piloto e dono da moto, foram para a casa de "Thamires", onde já estavam "Rose" e Jéssica.

 Todos saíram para lanchar e ao retornarem, as três foram se arrumar para o "programa". Quando Kelli saiu do banho, "Rose" segurou a vítima e "Thamires", sem piedade, efetuou as facadas na moça.

  Elas esperaram a vítima morrer e depois a autora das facadas utilizou uma mala de "Rose" para guardar o corpo de Kelli.

Diego foi o responsável por levar Kelli em sua moto, com a intenção de despachar o corpo da jovem, o que ocorreu já durante a madrugada.

  "Todos serão autuados por receptação e formação de quadrilha e serão indiciados por homicídio qualificado. Eu vou clamar por justiça para deixá-los fora de circulação por um bom tempo", afirmou a delegada Elizethe.

 

O CRIME

  O crime ocorreu na noite do dia 25 de maio deste ano, mas só foi descoberto no dia 1º de junho. Duas crianças brincavam nas proximidades de um igarapé, na rua Jiboia Branca, quando viram a perna de Kelli do lado de fora da mala. Eles chamaram os moradores da área e todos ficaram assustados com a descoberta.

  A polícia foi acionada, mas naquela ocasião ninguém reconheceu a vítima.

Somente após o reconhecimento do cadáver, há uma semana, a polícia conseguiu informações sobre a vítima e os criminosos. Eles foram presos por volta das 14h de ontem. A primeira a ser localizada pela polícia foi "Thamires", principal responsável pelo crime. A seguir, ela confessou o homicídio e indicou os demais integrantes da quadrilha.

  Na Seccional da Cidade Nova ela não quis falar com a imprensa, apenas fazia gestos obscenos para as câmeras.

 

O MOTIVO

  No depoimento prestado nesta sexta-feira na Seccional da Cidade Nova, "Thamires" se mostrou sempre muito fria e sem nenhum arrependimento pelo crime. Ela não deu maiores detalhes à delegada Elizethe sobre o motivo pelo qual ela teria praticado o homicídio, apenas disse que não gostava de Kelli porque ela era muito metida. A polícia acredita que a acusada tenha cometido o crime por ter inveja da vítima. Elas moravam próximas e eram amigas há mais de um ano, já que eram garotas de programa e trabalhavam no mesmo lugar, na avenida Pedro Álvares Cabral. Após o fato, "Thamires" roubou a moto de Kelli.

 

(Diário do Pará)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também