ASSALTO

Polícia prende quadrilha acusada de roubar moto e traficar drogas

Polícia prende quadrilha acusada de roubar moto e traficar drogas
25/06/2012 18:10 - DA REDAÇÃO


Policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (Derf) prenderam na quinta-feira (21) uma quadrilha responsável por um assalto no Aero Rancho, na quarta-feira (20), em Campo Grande.

Segundo a polícia, que divulgou a informação hoje (25), os investigadores chegaram a uma oficina mecânica no Jardim Monumento, após denúncia anônima.

Marcos Lucas Alves da Silva, de 26 anos, proprietário do local, desmontava uma moto roubada horas antes no Aero Rancho. Ele disse que o veículo foi deixado na oficina por dois homens identificados como Wesley Henrique de Andrade Silva, 19, conhecido como Dentinho, e Reginaldo Ferreira dos Santos, 22, vulgo Xiba.

Outro integrante da quadrilha, Luiz Felipe Silva Roque, 18, foi preso em sua residência, na Vila Carlota, com um revólver calibre .38 e algumas porções de drogas. Ele confessou ter praticado o roubo em companhia de Dentinho e Xiba.

Xiba foi localizado em sua casa, na Vila Santo Eugênio, onde foram apreendidas outras peças de motocicletas sem origem comprovada. Dentinho foi preso em um imóvel situado no Bairro Paulo Coelho Machado.

Todos foram autuados em flagrante na DEPAC-Piratininga (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) e responderão pela prática dos crimes de roubo qualificado, formação de quadrilha, posse irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e receptação.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".