quinta, 19 de julho de 2018

Polícia ouve testemunhas da briga entre médicos que resultou na morte de bebê

26 FEV 2010Por 16h:23
     

        Duas testemunhas da briga entre dois médicos durante um parto no Hospital Municipal de Ivinhema, no Mato Grosso do Sul, foram ouvidas nesta sexta-feira, 26, pelo delegado Lupérsio Degerone Lucio, que investiga o caso. Uma delas é o médico que terminou o parto. A mãe que perdeu o bebê foi ouvida na quinta-feira, 25. Durante as investigações, o delegado vai colher pelo menos 13 depoimentos, incluindo os dos médicos envolvidos na confusão, que pode ter causado a morte da criança.

        O caso aconteceu na última terça-feira, 23. Segundo o delegado, o médico Orozimbo Oliveira Neto, de 49 anos, realizava o parto normal na gestante, quando o plantonista do hospital, Sinomar Ricardo, de 68 anos, invadiu a sala de cirurgia discordando dos métodos utilizados pelo colega.  A equipe médica relatou ao delegado que os dois médicos trocaram socos enquanto a parturiente implorava que parassem de brigar. A briga teria iniciado porque Oliveira Neto teria feito todo o acompanhamento da gestante, mas o plantão seria de Sinomar Ricardo. Se ficar comprovada a relação de casualidade, os dois médicos vão responder por aborto doloso, com dolo eventual. "Isso significa que eles não queriam a morte do bebê, mas também não se importaram com a possibilidade de isso ocorrer." O delegado ressalta que vai colher o depoimento do médico que finalizou o parto e da mãe da criança morta. A Prefeitura Municipal de Ivinhema demitiu os dois médicos e colocou uma psicóloga à disposição da mãe do bebê.

        Com informações do Estadão

Leia Também