Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

investigação

Polícia não descarta hipótese de assassinato com motivação política

27 OUT 2010Por 04h:14

 A polícia não descarta a possibilidade de a morte do presidente da Câmara Municipal de Alcinópolis, vereador Carlos Antonio Costa Carneiro (PDT), 40 anos, ter sido encomendada por motivação política. Equipes das delegacias de Atendimento Comunitário (Depac) e Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) trabalham para chegar até o mandante do crime. A identificação do suspeito só deve ser revelada quando de sua prisão.

O vereador Carlos é filho do fundador de Alcinópolis e atual vice-prefeito do município, Alcino Fernandes Carneiro, e da primeira professora da cidade emancipada em 22 de abril de 1992, Romilda Costa Carneiro. Além de político, o presidente era produtor rural. Era casado com Nara Simone e deixa três filhas.

De acordo com o amigo da vítima e também vereador Aloísio Pereira (PMDB), Carlos Carneiro foi eleito vereador pela primeira vez em 2004. Ao assumir o cargo foi eleito vice-presidente da Câmara. No segundo biênio de seu mandato foi eleito presidente da Casa. Em 2008, Carlos foi reeleito e novamente assumiu a presidência.

Antes de ingressar na carreira política, foi presidente da unidade do Departamento Estadual de Trânsito em Mato Grosso do Sul, em Alcinópolis. "Ele deixou o Detran para se candidatar a vereador", relembrou Aloísio, afirmando que conhecia Carlos desde criança e sempre teve uma boa relação com a vítima.

O prefeito de Alcinópolis, Manuel Nunes (PR), decretou luto oficial de três dias. Ele contou que soube da notícia da morte do vereador quando estava na casa de seu sogro e garantiu que apesar de Carlos integrar a base de oposição na Câmara, a relação entre eles era tranquila. (VS)

Leia Também