CRIME AMBIENTAL

Polícia multa fazendeiro em R$ 80 mil por derrubar 145 árvores aroeiras

Polícia multa fazendeiro em R$ 80 mil por derrubar 145 árvores aroeiras
04/08/2012 15:00 - VÂNYA SANTOS


Um fazendeiro de Sidrolândia foi surpreendido após derrubar 145 árvores sem autorização, recebeu multa no valor de R$ 80 mil e responderá pelos crimes de exploração ilegal de madeira de lei e incêndio. De acordo com a Polícia Militar Ambiental (PMA) de Campo Grande, o fato aconteceu ontem (03) à tarde.

Durante fiscalização policiais encontraram na Fazenda Estância Isabel árvores da espécie aroeira, que foram derrubadas e cortadas sem autorização ambiental. O proprietário da fazenda ainda queimou algumas árvores em leiras.

O responsável foi multado em R$ 80 mil por possuir e utilizar produto de origem florestal protegido (aroeira) sem autorização. Ele também responderá por crime ambiental e, se condenado, pode pegar pena que varia de 1 a 2 anos de reclusão. Outras duas pessoas foram surpreendidas com motosserra, foram multados, indiciadas por crime ambiental e tiveram os equipamentos apreendidos.

Aroeira
A portaria de número 83 de 1991, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) proíbe o corte de espécies de madeira considerada nobre, como é o caso da aroeira, sem plano de manejo, que precisa ser aprovado pelos órgãos ambientais. Essas espécies não podem ser cortadas nem mesmo em desmatamentos autorizados. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".