Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Polícia investiga se gangue está envolvida em tumulto no shopping

21 SET 2010Por 08h:15

MICHELLE ROSSI

A Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude (Deaij) investiga se há relação entre os envolvidos com o tumulto provocado no estacionamento do Shopping Campo Grande neste sábado e a gangue conhecida como Conexão Jamaica – que já tem passagens pela polícia por ter praticado agressões contra adolescente no mesmo local.
A confusão no Shopping Campo Grande começou por volta das 19h de sábado depois do roubo do boné de um jovem. Foram presos sete adolescentes e quatro jovens, - entre eles o maior, Danilo Emanuel Gonçalves Minosse, 21 anos. Todos foram liberados no mesmo dia. Mas, o número de adolescentes envolvidos no tumulto é bem maior, uma vez que muitos conseguiram fugir quando perceberam a polícia militar se aproximando do local.
A delegada titular da Deaij, Maria de Lourdes Souza Cano, responsabiliza os pais dos adolescentes pelo tumulto provocado no Shopping. “Isso é responsabilidade dos pais desses jovens que não sabem onde seus filhos estão, não desconfiam se eles estão ligados a gangues, enfim, não estão exercendo devidamente o papel de pai e de mãe”, observa.
As investigações estão tentando identificar se os jovens realmente pertencem à gangue, da qual fariam parte jovens da região norte de Campo Grande. Eles marcariam encontros pela internet (usando ferramentas como o Orkut) e teriam em comum a vontade de causar tumulto pelos lugares que passam. Segundo informações, os jovens usariam inclusive, marcas no corpo para se reconhecerem mutuamente.
Outro caso recente vem sendo investigado pela polícia civil. Trata-se de furtos praticados dentro de uma loja de departamentos do local. “Há câmeras espalhadas por todo o Shopping, tanto na parte interna, como nas lojas, quanto na externa: estacionamento, e escadaria. Então, usamos as imagens para identificarmos as pessoas envolvidas em tumultos, roubos, furtos, ou qualquer outra ocorrência”, descreve.  
Há uma parceria, segundo a delegada, entre a direção do Shopping e a polícia civil que é acionada quando há qualquer tipo de incidente, mas também quando uma situação anormal é percebida. “Somos avisados pelo pessoal do Shopping que observa alguns tipos de comportamento, mas também temos a investigação que nos indica onde temos de nos infiltrar para pegarmos os criminosos em flagrante”, indica.

Agressão
Em outra confusão ocorrida recentemente, no mês de junho, na área externa do Shoppping Campo Grande, o garoto Wesley Guides Anastácio, 18 anos, foi espancado no estacionamento e lançado escadaria abaixo. À época, membros da gangue ordenaram que Wesley entregasse boné e celular. O jovem obedeceu à ordem, mas acabou apanhando ao solicitar o chip do aparelho.
Foi depois desse episódio que as câmeras foram instaladas na escadaria e passaram a monitorar todas as ações suspeitas de gangues no Shopping. A Deaij está concluindo o caso e deve apresentar os resultados ainda nessa semana.

Leia Também