SÃO CONRADO

Polícia identifica dupla de motociclistas que matou soldado da Base Aérea

Polícia identifica dupla de motociclistas que matou soldado da Base Aérea
24/06/2012 17:30 - VÂNYA SANTOS


Foi identificado como sendo Ronaldo dos Santos, de 39 anos, o condutor da motociclista que se aproximou do militar da Base Aérea de Campo Grande, Renato Dec Barbosa, momentos antes de sua morte. Já o autor dos disparos que matou o soldado e feriu outras três pessoas foi identificado apenas pelo apelido de Bugão.

De acordo com a polícia, Burgão, Ronaldo e sua esposa saíam do Bar Braga Lanches, na Rua General Alberto Carlos Mendonça Lima, Bairro São Conrado, num veículo Gol, quando Ronaldo colidiu com uma motocicleta, não causando danos. O condutor pediu desculpas e o dono do veículo aceitou.

Enquanto isso, Bugão perguntou o que Renato estava olhando. Os dois discutiram, mas em seguida os ocupantes do Gol foram embora. Cerca de meia hora depois os autores voltaram. Bugão efetuou dois disparos contra a vítima, que morreu no local, e também baleou outras três pessoas que estavam sentadas na mesa do militar.

Os feridos foram socorridos por equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados para a Santa Casa. Segundo informações da polícia, uma das vítimas foi baleada no ombro direito, enquanto a outra foi atingida na região das costas. Não há informações sobre a terceira pessoa ferida.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".