Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

OPERAÇÃO QUESTOR

Polícia Federal tem dez dias para concluir inquérito

18 MAI 2011Por DIÁRIO ONLINE00h:02

A Polícia Federal de Corumbá deve ouvir 40 depoimentos, até HOJE (18) dentro das investigações da Operação Questor, que apura a existência de um grupo que fraudava licitações públicas na Prefeitura de Ladário e, no período de um ano, teria desviado recursos federais da ordem de R$ 500 mil. Nestes dois dias, a maioria dos depoimentos é de servidores da Prefeitura ladarense.

Na tarde de ontem, o prefeito José Antonio Assad e Faria prestou depoimento ao delegado da PF, Fábio Machado, que comanda o inquérito. "O prefeito prestou depoimento. Foi intimado assim como vários outros servidores e pessoas que podem acrescentar informações às investigações", explicou o delegado chefe, Alexandre do Nascimento.

"O depoimento dele era necessário porque, além de prefeito, foi ele quem nomeou as pessoas e elas são subordinadas a ele", disse Nascimento. Ainda segundo o delegado chefe da Polícia Federal corumbaense, as investigações da Operação Questor - que duraram um ano - não citam o chefe do Executivo ladarense.

Nascimento informou que cinco dos seis funcionários da Prefeitura de Ladário, entre eles os secretários de Finanças, Name Faria, e de Educação, Eliene Urquiza, que tiveram a prisão temporária decretada, foram encaminhados para os presídios masculino e feminino por falta de espaço adequado na delegacia da PF. "Aqui não temos instalações adequadas para manter essa quantidade de pessoas presas. Eles têm curso superior e têm direito à cela especial", afirmou o delegado. A única que permanece na Delegacia da PF é a advogada geral do Município, Candelária Lemos.

As prisões temporárias do grupo - por cinco dias, podendo ser prorrogadas ou convertidas em permanentes - se justificaram pela "garantia da instrução criminal", complementou. O prazo para a conclusão do inquérito é de 10 dias.

A "Operação Questor" é uma ação conjunta com o Ministério Público Federal (MPF) e Controladoria Geral da União (CGU). Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária em Corumbá; dois em Ladário e um em Campo Grande. Outros 26 mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelos agentes federais.

De acordo com as investigações, o grupo era composto por funcionários públicos e empresários e fraudava procedimentos licitatórios que envolviam verbas públicas federais destinadas à saúde, educação e infraestrutura no município de Ladário.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Ladário, informou que o prefeito José Antonio deve falar sobre o caso, nesta quarta-feira, em entrevista coletiva.

Fonte: Diário Corumbaense (www.diarionline.com.br).

Leia Também