Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

CAMPO GRANDE

Polícia divulga vídeos de PM fardado praticando assalto

24 MAR 2011Por vivianne nunes e vânya santos15h:45

Está preso na Delegacia de Roubos e Furtos de Campo Grande, desde anteontem, o soldado da Polícia Militar acusado de praticar assaltos a estabelecimentos comerciais na companhia de outras pessoas. Imagens do circuito interno de segurança de um supermercado, no bairro Anahi, registraram no dia 05 de março o momento em que o acusado chega até o local acompanhado de outros dois homens e anuncia o assalto. A ação criminosa durou pouco mais de três minutos e começou às 20h11min. Trajando a calça da farda, cuturno e uma camiseta da corporação, armado, ele fica o tempo todo na porta do estabelecimento enquanto os outros dois recolhem o dinheiro do caixa.

Além desses indícios que comprovam se tratar de um policial militar por causa da vestimenta, testemunhas de outro assalto ocorrido no dia 12 a uma loja na Avenida Albert Sabin, bairro Caiçara, o reconheceram através de arquivo fotográfico apresentado pela polícia Civil.

A motocicleta usada nas duas ações criminosas também é indício de que se trata da mesma pessoa. O veículo, uma YBR vermelha foi visto nos dois assaltos. Preso em flagrante pelos próprios colegas no momento em que chegava para trabalhar, o PM - um rapaz de 27 anos que está na corporação desde 2008 - negou a participação nos crimes. A polícia não revelou sua identificação, mas investigações indicam que ele também teria participado do assalto em que uma jovem foi baleada durante troca de tiros com a polícia no banco HSBC.

O delegado responsável pelo caso, Fábio Peró, afirmou em entrevista ao Portal Correio do Estado, que dois ambientes foram montados na Derf ontem para que as vítimas pudessem reconhecer o autor. “No primeiro todos figurantes estavam de capacete, inclusive ele e todas as testemunhas o apontaram como autor. Depois, novamente, sem o capacete, todos indicaram ele. Duas das vítimas são mulheres. As duas passaram mal ao ver o suspeito na sala de reconhecimento e isso nos deu certeza de que ele é o autor dos fatos”, afirmou.

Pessoas ligadas a ele também teriam relatado que o policial seria usuário de drogas.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também