Sábado, 20 de Janeiro de 2018

Polícia descarta assalto na morte de cartunista

12 MAR 2010Por 14h:31
     

         Nem tentativa de assalto, nem vingança. O cartunista Glauco Villas Boas, de 53 anos, e seu filho Raoni, de 25, foram vítimas de uma tragédia. O principal suspeito do assassinato seria conhecido da família e frequentaria a Igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, inspirada nos cultos do Santo Daime. Segundo a polícia, trata-se do estudante universitário Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, que já teria um registro por porte de drogas.  O suposto autor do crime vive no Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital, e estaria afastado dos cultos há cerca de seis meses. No fim da noite de quinta-feira, ele teria ido ao encontro de Glauco, levando uma pistola 765. Houve uma discussão e o rapaz disse que iria se matar. O cartunista tentou demovê-lo da ideia. Suas últimas palavras teriam sido: "Não faça isso, não faça isso". Em seguida, teria sido morto com quatro tiros.

        Com informações do Estadão

Leia Também