quarta, 18 de julho de 2018

Polícia aumentará segurança em sessão da Câmara

18 SET 2010Por 07h:13

Fábio Dorta, Dourados
 
Mesmo com o protesto ocorrido na sessão, quando manifestantes estouraram a parte de entrada, quebraram várias vidraças do prédio e entraram em confronto com a Polícia Militar, a direção da Câmara Municipal informou que duas sessões serão realizadas na segunda-feira, dia 20, a partir das 18 horas. A PM promete segurança redobrada dentro e fora do prédio do Legislativo.
A primeira reunião será para completar a pauta da sessão anterior que foi suspensa por causa da ação dos manifestantes que exigem a renúncia dos vereadores, presos e os indiciados na Operação Uragano da Polícia Federal. A segunda é para a votação de projetos e, provavelmente, para empossar os três integrantes da Comissão Processante que foi aberta com o objetivo de cassar o mandato do prefeito afastado Ari Artuzi (sem partido).

Reunião fechada
Ontem à tarde, os vereadores se reuniram a portas fechadas para definir as pautas das sessões e a imprensa não teve acesso ao encontro. Também ficou definido que será feita a eleição para o cargo de primeiro-secretário da Mesa Diretora. O vereador Humberto Teixeira Júnior (PDT), que já havia se licenciado do mandato por 35 dias, também renunciou ao cargo. Ele está preso.
A assessoria de comunicação do Legislativo informou que o acesso de pessoas ao interior do prédio do Legislativo será novamente restrito. Na plateia poderão entrar 300 pessoas, que é o número de assentos disponíveis. Também será feito credenciamento para jornalistas e até assessores dos vereadores.

Segurança
A direção da Câmara Municipal solicitou ao comando da Polícia Militar aumento na segurança para evitar que ocorram novamente problemas como o da última segunda. O comandante-geral da PM, coronel Carlos Alberto David dos Santos, disse ao Correio do Estado que o pedido da Câmara foi aceito e que o planejamento estratégico para atuação da PM está sendo feito.
Ele adiantou que o efetivo será aumentado (na última sessão foram designados 120 policiais) e que o perímetro em que a PM irá agir no entorno do prédio do Legislativo será aumentado. “Posso garantir que o que ocorreu na última sessão não irá acontecer novamente”, afirmou David. Ele disse ainda que o serviço de inteligência da PM já detectou movimentações em torno da organização de uma nova manifestação, mas não adiantou o que foi descoberto.

Leia Também