CORUMBÁ

Polícia apreende mais de 300 kg de roupas da Bolívia

Polícia apreende mais de 300 kg de roupas da Bolívia
01/08/2012 17:43 - DIÁRIO ONLINE


Após levantamento feito pelo Serviço de Inteligência do 6º BPM, uma guarnição do Grupamento Especializado Tático de Motos apreendeu aproximadamente 300 kg de roupas que estavam sendo trazidas da Bolívia sem documentação de origem. A apreensão aconteceu na tarde de hoje (01), na rua João Bosco Motta, no Loteamento Pantanal, localizado na parte alta de Corumbá.

A roupa estava sendo transportada em um veículo Fiat Elba, placas de Presidente Epitácio (SP), conduzido por um homem de 28 anos. No momento da abordagem, o condutor do veículo ainda tentou escapar da fiscalização não obedecendo à ordem de parada, mas acabou cercado. No interior do veículo, os policiais encontraram os fardos de mercadorias que após pesados totalizaram 365,2 kg de roupas.

Para transportar a mercadoria o condutor retirou o banco traseiro do veículo. No trajeto para a delegacia um dos policiais atendeu uma ligação no celular do condutor onde um homem perguntou: "deu tudo certo?" pensando falar com o motorista e ao receber resposta positiva falou: "depois acertamos", desligando em seguida.

O veículo, juntamente com a roupa apreendida, dois celulares e o condutor foram encaminhados para o posto de fiscalização da Receita Federal na fronteira com a Bolívia. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".