Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Polícia ainda não identificou bandidos que roubaram R$ 300 mil em joias

24 DEZ 2010Por VÂNYA SANTOS09h:46

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) ainda não tem a identificação dos bandidos que invadiram e roubaram mais de R$ 300 mil em joias de uma casa de alto padrão da família de um médico. O assalto foi praticado nesta quarta-feira, num imóvel da Rua Vitório Zeolla, uma das principais vias do Bairro Carandá Bosque, região nobre de Campo Grande. Segundo o delegado Fábio Peró, responsável pelo caso, equipes de investigadores estão em diligência para tentar elucidar o roubo.

O crime teve início por volta das 11h de quarta-feira, quando um advogado de 27 anos, filho do médico, estranhou o latidos dos cachorros e resolveu verificar o que estaria acontecendo. O rapaz então surpreendeu os assaltantes no quintal, em seguida foi rendido e orientado a não reagir. Após ser surpreendido pelo advogado, o trio encobriu o rosto com capuz. Como a vítima não tinha o segredo do cofre, os criminosos esperaram que o médico ou sua esposa chegasse no imóvel.

Cerca de uma hora e meia depois a esposa do médico chegou e foi rendida ainda na garagem. Mãe e filho foram amarrados e trancados num dos cômodos, enquanto os ladrões roubaram várias joias, 18 relógios de pulso, cinco óculos, aparelho de DVD, som automotivo, estepe de carro, dois telefones sem fio, 10 peças de roupas e um televisor de plasma 42 polegadas.

De acordo com o delegado Fábio Peró, a casa fica ao lado de um terreno baldio e na noite que antecedeu ao crime os assaltantes fizeram um buraco no muro, que dava acesso a residência do médico. Eles estavam armados com dois revólveres e uma pistola. O carro das vítimas, um Gol usado na fuga dos bandidos, foi abandonado numa das ruas do Bairro Monte Alegre, momentos depois do assalto.

As vítimas conseguiram descrever algumas características dos bandidos e agora a polícia tenta identificá-los.

Leia Também