Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

jardim noroeste

Polícia ainda não encontrou corpo no lixão

6 JUN 2011Por EVELIN ARAUJO09h:08

A Delegacia de Homicídios passou três dias inteiros fazendo buscas no lixão do Jardim Noroeste e não encontrou o corpo de Aristides Cavalheiro Lopes, que foi torturado e morto no último dia 12. Ele teria vendido uma moto YBR vermelha por R$ 200 a Milton Bogado, de 49 anos que, segundo a polícia, espancou e mandou matar o rapaz por não receber a moto.

A um mês do inquérito, a polícia não encontrou o corpo e as buscas estão suspensas.

"Acredito que o rapaz que escondeu o corpo lá não sabe ao certo a localização, uma vez que a escavadeira vasculhou o local que ele indicou por três dias e não achou", disse o delegado responsável pelas investigações, Edilson Santos.

A polícia acredita que o corpo esteja lá, mas uma distância de 20 a 50 metros mudaria completamente o plano de escavações, já que a todo o momento chegam caminhões com lixo.

O prazo legal para o fim do inquérito terminará na semana que vem, mas mesmo sem o corpo, os envolvidos serão indiciados por homicídio doloso.

Leia Também