Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Polêmicas e dúvidas envolvem capitalização

Polêmicas e dúvidas envolvem capitalização
28/02/2010 05:34 -


Números grandiosos, polêmicas e dúvidas ainda sem resposta envolvem a megacapitalização da Petrobras. A operação foi desenhada pelo governo para garantir os recursos para a empresa bancar seus planos de investimentos nos próximos anos, não apenas no pré-sal. A Petrobras prevê o desembolso total de US$ 174,4 bilhões entre 2009 e 2013. Considerando apenas o pré-sal, serão US$ 111,4 bilhões no período 2009-2020. Maior acionista da companhia, com participação de 32,1% no capital, a União fará seu aporte com 5 bilhões de barris de petróleo. Como o óleo ainda não foi extraído, serão contratadas duas consultorias internacionais para calcular o valor desses 5 bilhões de barris. Segundo a estatal, será algo entre US$ 4 e US$ 12/barril. Apenas quando essa definição ocorrer é que se saberá exatamente o valor total da capitalização. Se as consultorias avaliarem, por exemplo, em US$ 5 o barril, o aporte da União equivaleria a US$ 25 bilhões (pagos, em um primeiro momento, em títulos públicos, uma vez que o óleo ainda não foi extraído). Como o Estado tem quase um terço do capital da empresa, isso significaria uma capitalização total de aproximadamente US$ 75 bilhões, de longe a maior operação do gênero no mundo – hoje, a liderança é do banco chinês ICBC, com pouco mais de US$ 19 bilhões. Nesse exemplo, US$ 50 bilhões teriam de ser subscritos pelos minoritários. A expectativa de analistas é de que nem todos tenham dinheiro para entrar na operação. Com isso, terão diluída a participação na empresa. Para evitar eventual sensação de fracasso da operação, o governo informou que absorverá os papéis que não forem comprados pelo mercado.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?