Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

Prêmio

Poeta Manoel de Barros é destaque da cultura nacional

27 OUT 2010Por Thiago Andrade00h:10

O poeta fingidor, que prefere mentiras a verdades inventadas, ganhou na noite de segunda-feira o Prêmio Artista Bradesco Prime 2010, concedido pelo banco em parceria com a revista Bravo!, uma das principais publicações de jornalismo cultural no País. Manoel de Barros, figura fugidia da imprensa, foi escolhido pelo público como o artista do ano. Em 2010, ele publicou, depois de três anos sem lançamentos inéditos, o livro “Menino do mato”, além do volume “Poesia completa”, que reúne toda a produção do poeta de 93 anos.

Natural de Cuiabá, mas de coração sul-mato-grossense, Manoel tornou-se um dos mais conhecidos e importantes poetas da atualidade, com versos cheios de lirismo, por vezes, incompreensíveis à primeira lida, mas cheios de imaginação e fascínio pelas pequenas desventuras do cotidiano. Ele mora em uma casa modesta no centro de Campo Grande e é dono de fazenda em Corumbá, cidade em que passou grande parte de sua infância. Neste ano, o poeta foi personagem central do documentário “Só dez por cento é mentira”, desbiografia filmada por Pedro Cezar.

Concorrendo com a cantora Maria Bethânia, o ator Paulo José, o diretor teatral Antunes Filho, o violinista Fábio Zanon e os artistas plásticos Gustavo e Otávio Pandolfo, conhecidos como Os Gêmeos, personalidades de peso da cultura nacional que tiveram destaque em 2010, Manoel foi o premiado da noite e agradeceu em discurso gravado em sua residência especialmente para a premiação. “O artista se torna um mito, deixa de existir, vira personagem fictício. As pessoas que estão reunidas, assistindo ao que estou dizendo, são mitos para mim. Deixo um grande abraço afetuoso, um abraço de avô a todos eles”, agradeceu.

Em sua sexta edição, o Prêmio Bravo! Bradesco Prime de Cultura homenageou o sambista carioca Noel Rosa e premiou diversas produções culturais de 2010, entre elas, a exposição “Faustus”, do artista plástico paraibano José Rufino, o escritor Fábio Corsaletti com o livro “Esquimó”, o filme “Viajo porque preciso, volto porque te amo” de Karim Aïnouz e Marcelo Gomes. Júri composto por curadores, coreógrafos, professores, artistas plásticos, atores, escritores, músicos e jornalistas selecionou os vencedores de 12 categorias. Para conferir a lista completa basta acessar o endereço online: www.twitter.com/bravonline.

Leia Também