Terça, 20 de Fevereiro de 2018

NAVIRAÍ

PMs são presos acusados de extorquir contrabandistas

11 DEZ 2010Por bruno grubertt00h:00

Dois policiais militares de Naviraí foram presos pela Polícia Federal (PF) acusados de cobrar propina de criminosos para liberar caminhões carregados com produtos contrabandeados, que deveriam ser apreendidos nas blitzes feitas por eles na cidade. De acordo com a PF, no fim de novembro, um grupo de seis militares pediu R$ 250 mil de criminosos para liberar uma carreta bi-trem carregada com cigarros e defensivos agrícolas contrabandeados.

As investigações foram motivadas pela prisão de um deles, no dia 30 de novembro, acusado de esconder o bi-trem carregado em um terreno, em Naviraí. De acordo com a Polícia Federal, denúncia anônima fez os agentes chegarem até a carga e, por meio de apurações imediatas, foi possível constatar a irregularidade e efetuar a prisão do policial em flagrante.

A partir daí, as investigações mostraram a participação de outros policiais — foram expedidos cinco mandados de prisão, mas ontem somente dois militares foram presos. Os outros três, de acordo com a PF, não são considerados foragidos. Isso porque a Federal acredita que eles devem se apresentar logo, já que, se deixarem de comparecer ao serviço por oito dias, podem ser considerados desertores e exonerados da Polícia Militar (PM).

Os dois detidos devem ser encaminhados para Campo Grande, onde ficarão na cadeia por, pelo menos, cinco dias — período da prisão temporária, tipo de detenção decretada para que os acusados não prejudiquem as investigações. Os outros suspeitos podem se apresentar depois do período de cinco dias, acompanhados de advogados.

Ontem à tarde a PF ainda não tinha informações sobre outros casos em que os policiais teriam extorquido contrabandistas para liberar os produtos, mas acredita que essa prática tenha sido adotada em outras vezes. O caminhão, a carga de cigarros e defensivos agrícolas foram levados para a sede da Receita Federal em Mundo Novo e o valor dos produtos não foi divulgado.

A Polícia Militar informou que será instaurado procedimento administrativo para apurar a participação dos militares no crime. Se ficar comprovado que houve cobrança de propina para liberar a carga, eles podem ser excluídos da corporação.

Leia Também