quarta, 18 de julho de 2018

autuação

PMA prende caçadores de animais silvestres

11 JAN 2011Por MICHELLE ROSSI00h:00

A Polícia Militar Ambiental (PMA) registrou, no fim de semana, a primeira autuação de um grupo de caçadores de animais silvestres em Mato Grosso do Sul. A.A.A., A.D.M.R. e D.F. – todos residentes de Anastácio, a 134 quilômetros da Capital, foram presos com armas e animais silvestres vivos e abatidos.

A prisão ocorreu na Fazenda Retirinho, em Aquidauana, por volta das 19h de sábado. Com eles, os policiais apreenderam duas espingardas calibre 22, munições e quatro facas. Quanto aos animais, foram encontrados um pato silvestre abatido, três filhotes de porco monteiro vivos e dois mortos.

Diante dos crimes, foi dada voz de prisão aos caçadores, que foram conduzidos, juntamente com o material apreendido, à delegacia de Polícia Civil de Aquidauana, onde foram autuados em flagrante por crime ambiental de caça e porte ilegal de arma.

Caça de animais também gera multa e cada um foi autuado com o valor de R$ 2 mil. O valor é cobrado por animal: quando ele consta na lista de risco de extinção, o valor é de R$ 5 mil por animal e, quando o bicho não está em risco, são R$ 500 por cada animal.

A Polícia Militar Ambiental não gera estatísticas de prisões e apreensões pelo crime de caça no Estado. No entanto, após as prisões de pessoas envolvidas com um safári de caça no Pantanal sul-mato-grossense e mato-grossense, em agosto do ano passado, o volume de denúncias contra este tipo de crime aumentou consideravelmente – de acordo com a Polícia Federal de Corumbá, onde aconteceu a prisão da maior parte dos envolvidos com o safari. O grupo era especializado em caçar onças, mas outros animais típicos do Pantanal também eram alvo da quadrilha.

Leia Também