domingo, 22 de julho de 2018

onça-pintada

PMA libera entrada no Parque das Nações

2 NOV 2010Por ANAHI ZURUTUZA04h:30

Depois de passar 72 horas fechado, por conta do risco de a onça-pintada que escapou de jaula do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras) aparecer e atacar os visitantes, ontem à tarde, a Polícia Militar Ambiental (PMA) liberou a entrada no Parque das Nações Indígenas. O animal ainda não foi encontrado, mas segundo o comandante da PMA, major Carlos Matoso, não há indícios de que o felino esteja ou tenha passado pelo parque. "Mantivemos fechado até que conseguíssemos vistoriar toda a área".

O comandante revela que no sábado as buscas pelo animal foram prejudicadas porque chovia muito. Mas, segundo Matoso, ontem o trabalho foi intensificado.

Além de ampliar a área de atuação para além do Parque dos Poderes, já que moradores da região da Uniderp Agrárias dizem ter visto o animal nas proximidades da universidade no sábado, a equipe agora procura a onça em locais onde ela possa estar entocada. "No Parque dos Poderes existem muitas galerias de águas pluviais. Como a onça é um bicho de hábitos noturnos, a gente desconfia que ela possa estar ficando dentro deste locais durante o dia. É onde estamos procurando agora".

Trabalham à procura da onça um policial militar ambiental, um veterinário do Cras e dois integrantes da ONG Procarnívoros – especialista em monitoramento de onças no Pantanal. A equipe trabalha com a ajuda de dois cães farejadores.

Rastreamento
Os animais abrigados no Cras não possuem chips ou qualquer outra ferramenta de rastreamento, comumente usada em zoológicos pelo Brasil. De acordo com o comandante da PMA, existe um planejamento para aderir ao rastreamento "num futuro próximo". Porém, ainda não há previsão de quando o material será adquirido ou instalado.

Os animais do Cras são identificados apenas por anéis metálicos com números de registro, que são colocados nas patas. Dependendo do tipo de chip a ser instalado, os bichos podem ser localizados por meio de um software que usa dados de satélite.

 Fuga
A onça fugiu da jaula do Cras, onde há seis meses recebia tratamento. O felino, de 8 meses de idade escapou na sexta-feira de manhã, após ser alimentado. A fuga teria ocorrido após uma anta que fica no espaço vizinho ao da onça ter aberto um buraco entre a grade e o chão, por onde o animal passou para ganhar a mata.

A PMA tem plantão 24 horas no parque e, no caso de alguém avistar o animal, pode ligar para o telefone 3314-4920. (AZ)

Leia Também