Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PM 175 anos: Centro de Equoterapia completa oito anos nesta semana

30 AGO 10 - 19h:15
     Uma terapia não convencional, em que cavalos são utilizados no lugar de aparelhos e as sessões são feitas ao ar livre. Prática que tem seus resultados visíveis no sorriso e no dia-a-dia de quem se reabilita de algum distúrbio físico ou mental.  Assim é a Equoterapia, método terapêutico e educacional que emprega o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais. A atividade exige a participação do corpo inteiro, o que proporciona desenvolvimento da força, tônus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio Cerca de 84 praticantes usufruem dos benefícios desta terapia no Centro de Equoterapia da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS). A instituição filantrópica trabalha com doações e oferece uma média de 150 atendimentos gratuitos por semana. Fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, pedagogos, educadores físicos, além de cinco policiais militares formam a equipe do centro. A Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso do Sul também é parceira do projeto, realizando o pagamento dos profissionais que lá trabalham, com exceção dos policiais, que são cedidos pela PMMS. O centro completa, na próxima sexta-feira (3 de setembro), oitos anos de existência. Além de terapia, proporciona esperança.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Com máxima de até 40°C, terça será de tempo quente e seco em MS
TEMPO

Com máxima de até 40°C, terça será de tempo quente e seco em MS

Conheça as belezas de Cuba, a maior ilha do Caribe
TURISMO

Conheça as belezas de Cuba, a maior ilha do Caribe

Novo Troller TX4
CORREIO VEÍCULOS

Novo Troller TX4

CLÁUDIO HUMBERTO

Há duas certezas na vida: a morte e pagar impostos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião