segunda, 16 de julho de 2018

CHUVAS

Plantio da safrinha ganha mais prazo no Estado

3 MAR 2011Por DA REDAÇÃO17h:06

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) aprovou hoje a ampliação do período de plantio do milho safrinha para 20 de março em 27 municípios sul-mato-grossenses. A medida atende pedido feito na quarta-feira, em Brasília, pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) Eduardo Riedel, e pela secretaria de Produção e Turismo (Seprotur), Tereza Cristina, ao secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães.

Devido ao atraso na colheita da soja pelo excesso de chuva, a Famasul, juntamente com a Aprosoja/MS e OCB/MS, havia solicitado a prorrogação de 20 dias no prazo de plantio recomendado pelo Zoneamento de Risco Climático do MAPA, o qual se encerrou na última segunda-feira em alguns municípios do Estado. No entanto, o Mapa havia concedido anteriormente a extensão do período por 10 dias para o grupo de cultivares 1 (com ciclo de até 120 dias) e para os cultivos no solo tipo 2 (mistos) e tipo 3 (argilosos).

A nova determinação permite prazo de plantio até dia 20 para os municípios de Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Caarapó, Coronel Sapucaia, Douradina, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Japorã, Jateí, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Paranhos, Ponta Porã, Rio Brilhante, Sete Quedas, Sidrolândia, Tacuru e Vicentina.

Já para os municípios de Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Jateí, Juti, Mundo Novo, Naviraí, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru, fica valendo a data de 10 de março como fim do período para plantio do milho.

Com a alta incidência de chuvas, a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho safrinha estão atrasados em cerca de 15%. A colheita da soja é estimada em 20% da área plantada, número que historicamente seria de 35%, o que levou a Famasul a buscar a ampliação do prazo para que os produtores possam concluir o plantio da safrinha. “Ficamos satisfeitos porque o ministério se mostrou sensível à dificuldade que os produtores estão encontrando. Estamos em vias de ter uma super safra, mas condições climáticas limitam as operações na lavoura”, considerou Riedel.

Leia Também