OLIMPÍADAS DO RIO

Plano focará experiência internacional dos atletas

Plano focará experiência internacional dos atletas
11/08/2012 11:40 - agência brasil


O governo federal vai lançar, após os Jogos Olímpicos de Londres, um plano de investimentos focado em 2016, quando as competições serão realizadas no Rio de Janeiro. A meta é, em casa, ficar entre as dez nações com mais medalhas conquistadas. Em entrevista à Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, disse que um ponto chave que será contemplado é a participação dos atletas brasileiros em mais competições internacionais.

“É muito importante que o atleta brasileiro tenha, cada vez mais precocemente, essa experiência internacional. É muito difícil para o atleta estar fora de casa, num país com outra língua, outra culinária, tudo diferente”, disse Leyser, explicando que o trabalho será feito com as seleções sub-21 e sub-19 visando os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. “Se, desde cedo, ele está acostumado com isso, quando chegar na hora dos Jogos Olímpicos, onde um resultado é decidido por milésimo de segundo, por uma braçada, um ponto que você acerta ou erra, o atleta vai estar mais preparado para lidar com essa pressão”.

Além das competições, Leyser ressaltou o trabalho feito com comissões e técnicos estrangeiros, como os das seleções brasileiras de basquete masculino e de handebol feminino, que demonstraram evolução nas equipes. “Esse caminho também precisa ser perseguido e esse investimento reforçado”.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".