Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

CAMPO GRANDE

Plano de controle de poluentes na frota da Capital deve ser acelerado

25 ABR 2011Por ROSANA SIQUEIRA09h:00

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab aprovou na semana passada o PCPV (Plano de Controle de Poluição Veicular) do município. Com isso, caminhões e outros veículos de outras cidades do País que trafegam pela cidade sem inspeção veicular estão sendo multados. Entre eles estão inúmeros caminhoneiros de Mato Grosso do Sul.

Diante disso, a Prefeitura de Campo Grande pode acelerar a implantação do Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) no município. "A ideia é que nossos motoristas, principalmente os caminhoneiros que saem da Capital com destino à São Paulo, não sejam multados no estado vizinho por não terem a inspeção veicular de poluentes", afirmou o vice-prefeito Edil Albuquerque. 

Ele lembra que no final do ano passado, o  prefeito Nelsinho Trad (PMDB) publicou o decreto nº 11.407, que instituiu no âmbito do município de Campo Grande a Comissão Intersetorial do Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV). O decreto dispõe sobre os critérios para o funcionamento do PCPV e de programas de inspeção e manutenção de veículos em uso pelos órgãos estaduais e municipais de meio ambiente. Ele determina os limites de emissão e procedimentos para avaliação do estado de manutenção de veículos em uso visando o cumprimento da legislação editada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente.

De acordo com o decreto na primeira fase, a inspeção veicular seria feita em carros movidos a óleo diesel; depois, nas frotas com outros combustíveis.

A meta era que o plano estadual fosse anunciado até julho deste ano, após a conclusão de um diagnóstico de soluções, com base no inventário das condições ambientais campo-grandenses. Mas o vice-prefeito diz que este prazo deverá ser menor. Ele frisa, no entanto, que para que o plano entre em vigor deve ocorrer a participação do Detran e do Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). A cobrança de um novo tributo será debatida por uma Comissão Intersetorial, da qual esses órgãos também fazem parte. Em seguida, a Câmara Municipal discute e vota a matéria.
O prefeito já enviou ofício ao governador André Puccinelli (PMDB) pedindo o empenho dele e do diretor-presidente do Imasul, Carlos Alberto Negreiros, para apressar essa comissão. Mas, segundo Edil, esta cobrança poderá novamente ser feita nesta semana.

FROTA

Com índice de crescimento de 10% ao ano, a frota de veículos automotores em Campo Grande tende a aumentar ainda mais: até dezembro do ano passado, dos 387,5 mil veículos em circulação, 110 mil – quase um terço – eram motocicletas. A combustão do motor da moto polui duas vezes mais que os carros de passeio. Em termos nacionais, a frota de carros leves e utilitários é três vezes superior à de motos.

Leia Também