segunda, 23 de julho de 2018

refeitos

Planejamentos foram alterados duas vezes

12 JAN 2011Por MILENA CRESTANI 00h:00

O projeto para as obras no Córrego Anhanduizinho, às margens da Avenida Ernesto Geisel, já tiveram de ser refeitos pelo menos duas vezes, mas ainda não surtiram o resultado esperado, que era acabar com as enchentes na região. As falhas e demora na execução das obras – que já duram pelo menos três anos – tiveram novamente resultado catastrófico, como foi registrado no temporal da última quinta-feira.

Uma das adequações no projeto foi realizada em outubro de 2007. A justificativa dada pela prefeitura foi que novos estragos aconteceram no córrego enquanto se aguardava a liberação de recursos do Governo federal para iniciar as intervenções. No entanto, outra alteração foi realizada em agosto de 2009, essa ainda sem explicação plausível, pois nesta data a obra já deveria estar até mesmo concluída.

O secretário municipal de Infraestrutura, Transportes e Habitação, João Antônio De Marco, explicou que os R$ 29 milhões não contemplam apenas os córregos Anhanduizinho e Prosa. "São obras antienchente que incluem até mesmo as barragens do Sóter. Para a parte da Ernesto Geisel são R$ 11 milhões e cerca de R$ 4 milhões já foram investidos", explicou.

Já os outros R$ 20 milhões, liberados no ano passado, são para obras de drenagem nas proximidades do Shopping Campo Grande e Rua Ceará. (MC)

Leia Também