Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DELCÍDIO:

Planalto está ‘batendo duro’ para unir PMDB e PT

Planalto está ‘batendo duro’ para unir PMDB e PT
03/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Reportagem na edição de hoje (03) do jornal Correio do Estado informa que o senador Delcídio do Amaral (PT) confirmou que está havendo esforço muito grande do Planalto para unir o PT e PMDB em Mato Grosso do Sul. Segundo ele, tanto a direção nacional do PT como a do PMDB estão “batendo duro” para que o governador André Puccinelli (PMDB) seja candidato ao Senado na eleição estadual, devido ao seu peso eleitoral. No entanto, na eventual aliança com o PT, há a possibilidade de o PMDB indicar o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), para compor chapa ao lado de Delcídio como candidato a senador. 

O presidente regional do PSD e ex-senador, Antonio João Hugo Rodrigues, ratificou a importância de André no cenário político do Estado, porém, ressaltou que Nelsinho também seria “imbatível” como candidato a senador. “Eu acho que o Nelsinho como candidato ao Senado é imbatível também, pelo menos é isso que apontam as pesquisas”, disse Antonio João. “Eu não falo no achismo, eu me baseio em pesquisa, na vontade popular”.

Conforme Delcídio, as executivas nacionais demonstraram que têm insistido na união dos partidos rivais no Estado. “Nacionalmente, os dois estão batendo duro, tanto o PT quanto o PMDB. Acho que o PT nacional mostrou a vontade e mais do que nunca, com essa iniciativa, sinalizou a importância do André dentro do cenário político aqui no Estado”, afirmou.

  Senador Delcídio (Foto: Paulo Ribas)

Delcídio disse ainda, que foi considerada a possibilidade de Nelsinho assumir a candidatura ao Senado e a vice-governadora Simone Tebet (PMDB) mais uma vez candidata a vice, agora, ao lado de Delcídio. A reportagem é de Tavane Ferraresi e Roberta Cáceres.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.