Quarta, 17 de Janeiro de 2018

Pinhole é máquina fotográfica sem lente

6 ABR 2010Por 20h:35

Pinhole é o nome dado à técnica ou fenômeno fotográfico que se dá em um ambiente sem a presença de lentes (componente das máquinas fotográficas convencionais). Um furo permite a formação da imagem em um recipiente ou espaço vedados da luz. A projeção de imagens por este método é uma lei física, e é conhecida pelo homem desde a antiguidade.

Antes do advento da fotografia (século 19), as projeções pinhole eram instrumento científico de visualização de eclipses e no estudo das estrelas; nas artes, as imagens pinhole serviam de "molde" para os pintores paisagistas.

A princípio, qualquer espaço protegido da luz pode servir como câmera escura: de latas a caixas das mais distintas proporções, até espaços menos convencionais, mas com entrada de luz que possa ser controlada, como um refrigerador, um baú, um armário, uma sala ou um automóvel. Em cada caso existe um tamanho de furo apropriado para que a projeção se dê de forma nítida, pois é por este princípio que a projeção, e por consequência a fotografia pinhole, são possíveis.

Este furo pode ser determinado por meio de uma fórmula matemática relacionada às dimensões do recipiente escolhido. O recipiente furado passa, então, a ser uma câmara escura, com a qual podemos produzir fotografias, ao colocar filme ou papel fotográfico no seu interior.

O furo é feito em uma folha de alumínio com uma agulha, e esta folha é fixada com fita isolante a um furo maior, feito na caixa de fósforos ou na lata com prego e martelo, por onde a luz imprime na superfície fotossensível. Para terminar, um bloquinho de madeira garante a estabilidade, dando maior peso à câmera artesanal. Importante: ao fotografar, a câmera deve ficar imóvel para não tremer a imagem.

O tempo de exposição depende da iluminação local, com intervalos de cinco segundos ao sol e outros maiores, de acordo com a diminuição da luz. Pode chegar até 30 minutos se a luz for noturna e muito fraca. As imagens obtidas são reveladas normalmente e, a partir do negativo, são feitas as cópias positivas. Mais dicas no site: www.latamagica.art.br/oolhar. (SA)

Leia Também