Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Pílula anticoncepcional

15 MAR 10 - 22h:52
No mês em que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, é importante lembrar que a busca da independência feminina acabou contribuindo para a invenção da pílula anticoncepcional, no início da década de 60. É claro que no início as pílulas só eram receitadas para mulheres casadas e com o aval dos maridos. Além disso, os primeiros comprimidos continham alta dose de hormônio, que gerava alguns efeitos colaterais e por isso não conquistou muitas usuárias. Mas, com o passar dos anos, a evolução farmacológica permitiu que a mulher assumisse o controle de sua fertilidade, conquistasse liberdade sexual e profissional. Hoje, estamos na terceira geração de contraceptivos e são muitas as opções. Pílulas de estrogênio ou progesterona, injeção mensal ou trimestral, adesivo, anel para uso intravaginal, dispositivo intrauterino (DIU), além dos implantes. E, quando a demanda cresce a dúvida aumenta. Qual método ideal? Características pessoais e patologias devem ser levadas em consideração antes de começar a utilizar um hormônio, sugerem os ginecologistas. Portanto, nada de se consultar com a vizinha ou a amiga. Segundo a médica oncoginecologista Lenira Maria de Queiroz Mauad, os contraceptivos devem ser analisados de forma individual, já que enquanto uns podem trazer benefício para algumas mulheres, também podem ser prejudiciais a outras. A médica destaca que a indicação da pílula pode ir além da contracepção – que é o principal objetivo do medicamento – pois alguns hormônios são usados para tratamento de cistos ovarianos, endometriose, suspensão da menstruação para controle de anemias, evitar cólicas ou menstruações dolorosas e regular os ciclos. “Além dessas recomendações, um estudo aponta mais um benefício dos anticoncepcionais hormonais: a diminuição de alguns tipos de câncer”, atesta a oncoginecologista. Portanto, além de evitar a gravidez, a pílula é excelente coadjuvante nos tratamentos citados acima. Mas, nem todas podem usufruir destes benefícios. Fumantes, mulheres que tiveram ou têm tumores sensíveis a hormônios, predisposição a varizes, trombose ou pressão alta podem ter mais prejuízos que vantagens com esse tipo de medicamento.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

EM RAZÃO DOS PROTESTOS

Voos que sairiam do Brasil para Santiago estão sendo cancelados

Consumidor pode cancelar pacotes sem ônus ou multas
DEMITIDO DO GOVERNO

Marcos Cintra é chamado para reestruturar o PSL

Cintra foi demitido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes
Chuva não dá trégua e cerca de parque não foi reparada; animais já andam pela via
TEMPORAL

Chuva não dá trégua e cerca de parque não foi reparada; animais já andam pela via

Roberta D'Albuquerque: "Nove mil, quinhentos e noventa e nove reais"
ARTIGO

Roberta D'Albuquerque: "Nove mil, quinhentos e noventa e nove reais"

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião