segunda, 23 de julho de 2018

GP Brasil

Pilotos brasileiros reafirmam união no circo da Fórmula 1

5 NOV 2010Por São Paulo00h:45

A abertura oficial do GP Brasil de Fórmula 1 acontece hoje, com os primeiros treinos livres, mas desde ontem a movimentação no autódromo é intensa e na entrevista coletiva, que contou com a presença dos quatro pilotos brasileiros na Fórmula 1, ficou comprovada a união entre eles, muito destacada por Rubens Barrichello, o mais veterano de todos. Sorridentes e brincalhões, eles não perderam a chance de fazer algum tipo de brincadeira durante suas respostas.

“Estou sempre aberto para meus amigos. E todos (Felipe Massa, Lucas di Grassi e Bruno Senna) são meus amigos. A união entre espanhóis ou entre alemães não é a mesma entre a gente”, disse Rubinho, que costuma “dar uma carona” para eles em seu avião particular, com capacidade para 14 pessoas, entre uma etapa e outra do calendário.

Ser o mais velho da turma rende algumas gozações para o piloto da Williams. Ao falar sobre as primeiras memórias que tem de Interlagos, Bruno Senna lembrou de ver seu tio Ayrton pela TV na corrida de 1993. Rubinho, que fazia sua estreia na Fórmula 1 naquela temporada, interrompeu a resposta perguntando se ele não se lembrava de um outro piloto brasileiro na pista e teve de ouvir: “Não me lembro, não. Sei que você era um desconhecido”, contou Bruno, dando risada.

Já Felipe Massa também destacou a amizade entre todos e não perdeu a chance de “entregar” Lucas di Grassi. “A gente mora no mesmo prédio (em Montecarlo). Aí ele não tem comida na casa dele e sempre vai bater na minha porta para comer lá”, dedurou o piloto da Ferrari. Sem graça, o brasileiro da equipe Virgin não teve como negar. “É verdade”.

Mas todos deixaram claro que assim que for dada a ordem para o início dos treinos, cada um vai cuidar de seus interesses, com a amizade ficando para o lado de fora da pista.

Leia Também