Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

Piloto de caça que quebrou vidros do STF não é punido, diz Aeronáutica

24 AGO 2012Por g120h:00

O piloto do caça da Aeronáutica que fez o rasante sobre o Planalto em 1º de julho, provocando a quebra de vidros do prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), não foi punido pelo ato e já retornou ao trabalho, segundo a FAB.

O fato ocorreu após a passagem de dois Mirage F-200 sobre a Praça dos Três Poderes durante comemorações para a troca da bandeira. Segundo o STF, a manobra do avião da FAB quebrou 65 vidraças de grande porte e mais dezenas de vidros pequenos. Outros prédios próximos também tiveram vidros estilhaçados. A Aeronáutica pagou a troca das vidraças.

O piloto foi submetido a um conselho operacional, formado por militares, para investigar o ocorrido. Esta apuração concluiu que ele agiu de forma imprudente, “deixando a velocidade aumentar para 1.100 km/h, o que gerou uma onda de choque que quebrou vidraças de órgãos públicos e residências”, informou em nota a Aeronáutica nesta sexta-feira (24).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também