Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Piloto australiano vence prova da Indy em São Paulo

Piloto australiano vence prova da Indy em São Paulo
15/03/2010 08:59 -


Em uma prova bastante tumultuada, com várias batidas e interrupção causada pela forte chuva que caiu em São paulo durante a corrida, o piloto australiano Will Power venceu a etapa brasileira da Fórmula Indy, disputada no circuito de rua do Anhembi, em São Paulo. Ryan Hunter- Reay, da Andretti Autosport, que foi ultrapassado nas últimas voltas, ficou na segunda colocação. Vitor Meira, da AJ Foyt, foi o melhor brasileiro, na terceira posição. Mais três brasileiros ficaram entre os dez primeiros: Raphael Matos, da De Ferran Luczo Dragon, foi o quarto; Helio Castroneves, da Penske, o nono; e Tony Kanaan, da Andretti Autosport, o décimo. Bia Figueiredo, da Dreyer & Reinbold, foi a melhor mulher das quatro que disputaram a prova, com o 13º lugar. Mário Moraes e Mario Romancini não completaram a prova. Mas a corrida foi marcada por uma chuva torrencial, que durou 45 minutos e causou a interrupção pela direção de prova com apenas 35 das 75 voltas disputadas. A decisão foi tomada por motivos de segurança, após várias poças se formarem ao longo do circuito e a reta do sambódromo apresentar condições péssimas de aderência por causa do piso de concreto. Vários acidentes já haviam provocado bandeiras amarelas e a entrada do “pace car” durante a corrida. A batida que mais preocupou aconteceu logo na largada, quando o brasileiro Mário Moraes perdeu o controle do carro por causa da poeira na reta do sambódromo e foi parar em cima do cockpit do americano Marco Andretti. Após alguns minutos de angústia, o piloto conseguiu sair ileso do carro.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.