Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

R$ 4,8 TRILHÕES

PIB brasileiro cresce 2,3% <br>em 2013

PIB brasileiro cresce 2,3% <br>em 2013
27/02/2014 09:45 - TERRA


O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 2,3%  em 2013, na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. O valor total das riquezas geradas no Brasil no ano passado alcançou R$ 4,84 trilhões.

A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores, evitando que o País caísse em recessão técnica no final do ano passado. Em relação ao quarto trimestre de 2012, o Produto Interno Bruto (PIB) do país registrou crescimento de 1,9%. 

A mediana de previsões de analistas consultados pela Reuters apontava para crescimento de 0,3% do PIB no quarto trimestre de 2013 sobre julho a setembro passados, com as projeções variando de queda de 0,2% a alta de 0,5%. Sobre um ano antes, a mediana indicava expansão de 1,6% no quatro trimestre, numa faixa de 1,2% a 2,1%. Para 2013 fechado, as contas apontavam para crescimento de 2,2%.

Setores
Pelo lado da produção, os três setores da economia tiveram crescimento em 2013, com destaque para a agropecuária (7%). Os serviços cresceram 2% e a indústria, 1,3%. Pelo lado da demanda, a maior alta veio da formação bruta de capital fixo (investimentos), que cresceram 6,3%. Também tiveram crescimento o consumo das famílias (2,3%) e o consumo governamental (1,9%). No setor externo, as importações cresceram mais (8,4%) do que as exportações, que tiveram alta de 2,5%.

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!