Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Piaui lidera ranking do trabalho infantil

13 SET 10 - 03h:30
     

                O estado do Piauí tem o maior percentual de crianças de 5 a 14 anos trabalhando, de acordo com levantamento realizado pelo G1 com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada no último dia 8 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Da população nesta faixa etária no estado, 11% trabalha.

                Depois do Piauí, aparecem na segunda colocação no ranking três Na outra ponta do ranking, em três estados, apenas 1% das crianças dentro da faixa etária trabalham: Distrito Federal, Amapá e Rio de Janeiro.

                O G1 considerou os dados de 5 a 14 anos porque, dentro desta faixa etária, o trabalho é proibido no Brasil. Com 14 e 15 anos, é permitido o trabalho no país como aprendiz. A partir dos 16 anos, a legislação autoriza o trabalho mediante carteira assinada.

                Em todo o Brasil, 5% das crianças  entre 5 e 14 anos trabalham, conforme os dados do IBGE: 1,637 milhão do total de mais de 33 milhões. O percentual é metade da média para a América Latina e Caribe (10%), segundo a edição 2010 da pesquisa anual ?Estado das Crianças do Mundo?, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

                
                 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

DESLIGAMENTO TEMPORÁRIO

Deputados do PSL vão ao STF para barrar suspensão

Zé Ricardo é o novo técnico do Internacional, com contrato até o fim de 2019
FUTEBOL

Zé Ricardo é o novo técnico do Internacional, com contrato até o fim de 2019

Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara
NOVA MUDANÇA

Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara

Alisson, Firmino e Marquinhos concorrem à Bola de Ouro
FUTEBOL

Alisson, Firmino e Marquinhos concorrem à Bola de Ouro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião