Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PF faz operação em Três Lagoas para investigar crime eleitoral

30 OUT 08 - 07h:40
     

 

 

Documentos e atestados médicos falsos foram apreendidos hoje em Três Lagoas, por agentes da Polícia Federal, durante a Operação Coleta, que está sendo desenvolvida em vários estados brasileiros e investiga crimes eleitorais.

Quatro pessoas foram presas e estão na carceragem da Polícia Federal de Jales, a 350 quilômetros de Mato Grosso do Sul. Todas são acusada de cometer crimes eleitorais na cidade de Ilha Solteira, a 70 quilômetros de Três Lagoas, no interior de São Paulo.

Foram presos o vice-prefeito eleito da cidade de Ilha Solteira, Emanuel Zinezi (DEM), o presidente da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o advogado Darley Barros Júnior e um assessor da OAB, Ivo de Oliveira. O outro preso não teve o nome divulgado, mas deverá ser apresentado hoje.

Eles ficarão detidos por cinco dias e esta semana serão ouvidos pelo delegado Vinicius Zangirolani, da PF de Jales, interior de SP.

A Polícia investiga a suspeita de compra de votos, por meio da liberação de atestados médicos falsos, distribuição de cestas básicas e pagamento de contas dos eleitores. A matéria completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

A melhor gangue de todos os tempos
VIA STREAMING

A melhor gangue de todos os tempos

Renato Gaúcho desmente renovação com o Grêmio: 'Nem comecei a conversar'
FUTEBOL

Renato Gaúcho desmente renovação com o Grêmio: 'Nem comecei a conversar'

Petrobras divulga nova fase do processo de venda de refinarias
BRASIL

Petrobras divulga nova fase do processo de venda de refinarias

'Estamos desestatizando o mercado de crédito', diz Guedes
PAULO GUEDES

'Estamos desestatizando o mercado de crédito', diz Guedes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião