Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

DESARMAMENTO

PF fará cruzamento de dados para achar armas irregulares

29 SET 2010Por 20h:49

Vânya santos

A Polícia Federal de Mato Grosso do Sul vai cruzar informações para saber quem tem registro estadual de arma de fogo, mas não regularizou a arma durante os quatro anos de Campanha do Desarmamento feita no Estado, entre 2004 e 2009. De acordo com o delegado Marcelo Correia Botelho, depois de identificadas, essas pessoas serão notificadas para prestar esclarecimento sobre o paradeiro da arma.
Quem ainda portar o armamento terá que devolvê-lo para a polícia. Já as pessoas que alegarem terem sido vítimas de roubo ou furto terão que apresentar boletim de ocorrência para as autoridades policiais.
O delegado explicou que desde 2004 foram feitas quatro campanhas de desarmamento, com duas frentes de atuação. Uma delas era a regularização de porte para arma de calibre permitido. Quem regularizou pode ter a arma apenas em casa. Outra era a oportunidade para que a pessoa entregasse sua arma para a Polícia Federal e, em troca, recebesse indenização.
Durante o período, mais de 30.500 armas foram regularizadas no Estado. E, apesar do fim da campanha, interessados em devolver sua arma ainda podem se desfazer e se isentar do porte ilegal da arma, desde que o objeto não tenha sido utilizado em crimes. “A entrega voluntária é permanente. A campanha para o registro é que não será mais prorrogada”, explicou o delegado Botelho.

Entrega
Para o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, com a entrega de armas espera-se diminuir a taxa de homicídios no País, que teve queda de 11% entre 2003 e 2009, apesar de ainda ser o quarto País onde mais acontecem mortes por arma de fogo.
Para devolver é preciso retirar uma guia na Polícia Federal, preenchê-la e entregar o documento junto com o objeto numa unidade credenciada e apta para o recebimento. A estimativa do Ministério da Justiça é de que entre um e dois milhões de armas ainda estejam com a população.
Em Mato Grosso do Sul foram entregues seis armas de fogo em 2008, 218 em 2009 e 158 em 2010.

Repressão
Conforme o delegado Marcelo Botelho, a Polícia Federal continua com trabalho voltado para reprimir tráfico internacional de armas, bem como comércio ilegal. Já o porte ilegal de arma será coibido durante trabalho preventivo feito por policiais durante as barreiras de fiscalização.
A pena para quem for flagrado com uma arma irregular de calibre permitido em casa varia de um a três anos de detenção e multa. Quem for pego transitando com uma arma de fogo de uso permitido pode ser penalizado com dois a quatro anos de reclusão e multa. Já a pena para quem for flagrado com uma arma de uso restrito, seja em casa ou transitando, varia de três a seis anos de reclusão, além de multa.

Leia Também