Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

ALDEIA BABAÇU

PF assume investigação de ataque a ônibus que levava crianças indígenas

6 JUN 2011Por FAUSTO BRITES15h:55
O ataque com coquetel molotov a um ônibus de estudantes indígenas - que resultou em cinco pessoas feridas  - passa, a partir de hoje (06), a ser apurado pela Polícia Federal. O atentado foi registrado no final da noite de sexta-feira (03) na Rua Principal da Aldeia Babaçu, distante oito quilômetros da área urbana de Miranda
 
O delegado Tiago Macedo dos Santos, da Polícia Civil de Miranda, informou (por meio de nota) que encaminhou todas as informações obtidas até agora para a PF. Ele não descarta também como motivo do atentado um eventual conflito entre índios, "ou mesmo outros conflitos por questões típicas da localidade".
 
Segundo o delegado, o autor do ataque "estava escondido na mata, às margens da estrada, em atitude de emboscada, tendo se valido de uma garrafa contendo possivelmente líquido combustível, artefato caseiro este que fora arremessado contra o ônibus escolar".
 
Sofreram queimaduras o motorista Laércio Xavier Correia, além dos passageiros Rosana de Oliveira Martins, Lurdivane Pires, Edson Felipe Leite (internados na Santa Casa) e Nayara Francisco Vítor (permanece no hospital de Miranda)
 
A parte frontal, principalmente a cabine do motorista, ficou completamente queimada, porém o fogo não se alastrou em razão do ônibus ter colidido no barranco, o que fez com que cessasse o incêndio.
 
Durante a investigação da Polícia Civil, pedras foram encontradas no interior do veículo, mas o delegado informou que, segundo testemunhas formalmente ouvidas, teriam sido arremessadas contra o ônibus pelos próprios passageiros que, após se salvarem, tentaram quebrar as vidraças possibilitando o salvamento dos demais estudantes.
 
A ocorrência foi registrada como crime de Explosão Qualificada e Lesão Corporal de natureza grave, não sendo descartada também a hipótese de tentativa de homicídio.
 

Leia Também