Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

POTENCIAL

Petrobrás incorpora 1,07 bi de barris do pré-sal

15 JAN 2011Por ESTADÃO04h:30

A Petrobrás optou por uma postura mais conservadora e apropriou em suas reservas provadas apenas 1,071 bilhão de barris de óleo equivalente do pré-sal da Bacia de Santos. O volume refere-se aos projetos Lula e Cernambi (anteriormente chamados de Tupi e Iracema), cujas reservas totais são estimadas em 8,5 bilhões de barris. A estatal informou que fechou 2010 com 15,986 bilhões de barris de óleo e gás, segundo critério de cálculo usado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O volume de reservas provadas em 2010 representa uma alta de 7,5% com relação ao número de 2009 - os dados são divulgados apenas uma vez por ano, em referência ao dia 31 de dezembro. Trata-se da primeira alta significativa nos últimos cinco anos, quando as reservas da Petrobrás oscilaram em torno dos 15 bilhões de barris de óleo e gás. Segundo comunicado divulgado ontem, a empresa tem 15,283 bilhões de barris no Brasil e 703 milhões de barris no exterior.

Além de Lula e Cernambi, contribuíram para o aumento das reservas novas descobertas no pré-sal da Bacia de Campos, com 210 milhões de barris, em áreas próximas a grandes campos produtores da Bacia de Campos, como Marlim, Marlim Leste, Barracuda e Caratinga, por exemplo. Além disso, a companhia estima que poderá recuperar volumes maiores de petróleo em outras áreas de produção. Ao todo, diz o texto, a Petrobrás produziu 869 milhões de barris de petróleo e gás em 2010.

Analistas do mercado já esperavam que a estatal não apropriasse todo o volume de Lula e Cernambi, uma vez que há uma série de requisitos para a transformação de reservas estimadas em reservas provadas, como a possibilidade de venda do gás natural. Os volumes adicionais serão apropriados ao longo dos anos, à medida em que os projetos sejam desenvolvidos.

Pelo critério da Securities Exchange Comission (SEC, órgão regulador do mercado de capitais norte-americano), mais rígido, as reservas da estatal subiram menos em 2010, apenas 5%, para 12,748 bilhões de barris de óleo e gás. Nesse critério, a empresa diz ter apropriado 800 milhões de barris de Lula e Cernambi e 100 milhões de barris do pré-sal da Bacia de Campos.

Segundo a empresa, as reservas de 2010 garantem 14,7 anos de produção, ao ritmo atual. O comunicado informa que as reservas provadas da empresa estão divididos em 12,909 bilhões de barris de petróleo e 610 milhões de metros cúbicos de gás natural, de acordo com o critério adotado pela ANP, que segue padrões estabelecidos pela Sociedade dos Engenheiros de Petróleo (SPE, na sigla em inglês).

Os volumes anunciados pela Petrobrás não representam a totalidade das reservas brasileiras de petróleo, uma vez que uma série de companhias privadas têm descobertas no País. Em Lula e Cernambi, porexemplo, a estatal tem 65% de participação. O restante das reservas pertence à britânica BG e à portuguesa Galp, que não ainda não divulgaram qual o volume irão apropriar. Se seguirem os critérios da Petrobrás, adicionarão às suas reservas 576 milhões de barris de petróleo e gás.
 

Leia Também