Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

dificuldades

Petrobras e Vale interrompem atividades em Tóquio

17 MAR 2011Por IG17h:25

As duas maiores empresas brasileiras interromperam suas atividades nos escritórios de Tóquio, no Japão. A Vale orientou os 21 empregados que possui na capital japonesa a trabalhar em casa, por causa da possibilidade de novos tremores, das dificuldades com transporte público e da necessidade de poupar energia.

Pelos mesmos motivos, a Petrobras fechou o escritório e decidiu transferir alguns funcionários de Tóquio para Okinawa, ilha a 1,6 mil quilômetros de Tóquio, onde fica sua refinaria de petróleo. Vinte funcionários da estatal são brasileiros.

Com 200 empregados, a refinaria Nansei Sekiyu continua funcionando normalmente, segundo relata a Petrobras, que detém 100% do capital da planta. A refinaria tem capacidade para processar 100 mil barris diários de petróleo.

A refinaria de níquel da Vale em Matsuzaka, ao sul do Japão, também está em operação normal. Lá trabalham 66 empregados. A mineradora relata que, até o momento, as vendas de minério de ferro para o Japão não foram afetadas. O impacto nas siderúrgicas, segundo a mineradora, foi limitado, apesar do terremoto e da tsunami que provocou destruição em várias cidades ao Norte do país.

O Japão é um dos maiores clientes da Vale, com 10,5% de participação das vendas. Em 2010, os embarques de minério de ferro e pelotas da Vale para o país somou 30,8 milhões de toneladas.

“A Vale continuará a operar no país desta forma até que a situação se normalize”, afirma a mineradora, em nota. “A Vale continua a desempenhar suas atividades no Japão e está adotando todas as medidas possíveis para dar sua contribuição para minimizar os impactos do terremoto e tsunami que atingiram o país”, acrescenta.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também