Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INFRAÇÃO

Petrobras é autuada em <br> R$ 8,7 bilhões

Petrobras é autuada em <br> R$ 8,7 bilhões
11/03/2014 09:51 - G1


A Petrobras recebeu cinco autos de infração da Receita Federal desde outubro, somando R$ 8,76 bilhões. Os dados constam de documento enviado pela estatal à Securities and Exchange Comission (SEC), órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, equivalente à CVM brasileira.

De acordo com o documento, o último auto de infração é de janeiro deste ano, de R$ 1,442 bilhões, referente ao suposto não pagamento de contribuições previdenciárias referentes a alguns funcionários e a remunerações pagas a serviços médicos de funcionários entre janeiro de 2009 e dezembro de 2011. A empresa afirma que está recorrendo da autuação e apresentou sua defesa. Segundo a estatal, a chance de perda é remota e, por isso, não foi estabelecida provisão de perda.

No mesmo mês, outro auto de infração de R$ 1,093 bilhões foi recebido, referente a supostos não pagamentos de imposto de renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) em 2009, relativos a ganhos em subsidiárias no exterior.

Na autuação mais antiga, de outubro, a Petrobras recebeu um auto de infração da Receita Federal de aproximadamente R$ 2,35 bilhões referente a um suposto não pagamento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) em empréstimos com as companhias PifCo, Braspetro e BOC, em 2009. A defesa, diz a estatal, foi apresentada em novembro e aguarda julgamento.

Dois outros autos de infração, de R$ 2,347 bilhões e R$ 1,539 bilhões, são de dezembro, relacionados a plataformas afretadas em 2009, sobre as quais a estatal teria deixado de pagar imposto de renda e Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). A empresa está recorrendo das decisões.

Nesses quatro últimos casos, a estatal afirma acreditar que as chances de perda são consideradas possíveis mas não prováveis, e por isso não fez provisão para perda.

 

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!