sábado, 21 de julho de 2018

GUERRA INTERNA

Petistas agem para apagar o incêndio no partido até 2012

16 NOV 2010Por adilson trindade00h:00

Algumas lideranças influentes vão tentar apagar o incêndio que vem destruindo o PT em Mato Grosso do Sul. O deputado federal Vander Loubet não vê outra saída para o partido sair da crise sem o empenho do senador Delcídio do Amaral e do ex-governador José Orcírio dos Santos. O senador declarou que, pela votação obtida nas urnas, está credenciado a comandar o partido no Estado e colocou o ex-governador no papel de figurante. Ele advertiu os zequistas que, a partir de agora, terão de submeter-se, sem reclamar, às decisões das instâncias superiores.

Mas o grupo do ex-governador pretende resistir às manobras do senador de assumir o controle absoluto do PT. José Orcírio reagiu dizendo que não precisa de ninguém ensiná-lo como se comportar no partido. E mandou um recado: os insatisfeitos podem ir embora do PT.
Independentemente da posição de confronto, os zequistas aceitam participar de debate para acabar ou, pelo menos, minimizar a crise que prejudicou o partido nas duas últimas eleições para governador.

Mesmo rachado, o ex-governador considerou bom o desempenho do PT nas urnas. Se tivesse, portanto, unido na campanha eleitoral, os zequistas acreditam que o resultado poderia ser outro nas urnas.

Agora, as articulações de parlamentares do PT são de juntar os cacos. O deputado estadual Paulo Duarte defende amplo entendimento para levar o partido unido para as eleições municipais, em 2012. Seria o único jeito de vislumbrar a esperança de reconquistar o Governo do Estado, em 2014.

O senador Delcídio do Amaral não fala em amplo entendimento. Ele se coloca como candidato a governador em 2014 em qualquer circunstância da situação do PT em Mato Grosso do Sul. Hoje, o senador só tem um pedaço do partido alinhado ao seu projeto.

Vander e Paulo Duarte são os petistas menos radicais do grupo do ex-governador José Orcírio. Eles procuram usar o bom senso para evitar o agravamento da crise no partido. A ideia deles é preparar o PT para as eleições municipais. A disputa pela Prefeitura de Campo Grande será mais um duro desafio. Tanto Vander quanto Duarte sabem muito bem da dificuldade de ganhar do PMDB.

Mas não só em Campo Grande que os deputados estão de olho. Eles esperam o PT reconquistar a Prefeitura de Dourados e não perder a de Corumbá. Paulo Duarte seria hoje o mais cotado para concorrer à sucessão do prefeito petista Ruiter Cunha de Oliveira, em Corumbá. Mas enfrenta resistência do grupo do senador Delcídio do Amaral que pretende apostar em outro nome. Esta disputa interna pode levar mais uma vez os grupos ao confronto.

Leia Também