Pesquisadores preparam detector de mentiras para redes sociais

Pesquisadores preparam detector de mentiras para redes sociais
21/02/2014 04:00 - olhardigital


As redes sociais se transformaram em um ambiente de autopromoção no qual as pessoas tendem a se mostrar mais agradáveis, bonitas e inteligentes. Protegidas pelo anonimato, muitas delas vão além das brincadeiras e espalham mentiras que podem causar grandes estragos. Mas a farra está prestes a acabar com um projeto que promete analisar, em tempo real, a veracidade das informações.

Liderada pela pesquisadora Kalina Bontcheva, da Universidade de Sheffield, a iniciativa tem o apoio da União Europeia e de outras entidades e pretende combater as inverdades que podem influenciar negativamente jornalistas, governos, serviços de emergência, agências de saúde e o setor privado.

O sistema vigilante deverá ficar pronto em 2017 e vai funcionar automaticamente com base em categorias formadas por fontes de informações confiáveis. Em paralelo, o software vai mensurar as consequências geradas por um rumor, que pode, por exemplo, motivar a abertura de contas falsas no Twitter.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".