Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 - 16h02min

Turismo

Pesque e solte tem início dia 1º de fevereiro

21 JAN 10 - 05h:28SÍLVIO ANDRADE | CORUMBÁ
Enquanto se discute uma lei estadual de pesca que pode comprometer a ictiofauna do Pantanal, cada vez mais a pesca de captura está saindo do foco com os pescadores esportivos do Estado e outras regiões optando pelo pesque e solte, modalidade implantada em 2004. Essa modalidade de pesca começa dia 1º de fevereiro exclusivamente no Rio Paraguai, principal curso d´agua da planície pantaneira. O troféu é a fotografia do peixe, e a emoção, o fisgar de um dourado, pacu ou pintado. O turista que compra pacotes nos barcos-hotéis de Corumbá, por cinco dias, cada vez mais prefere contemplar o belo passeio e a natureza do que completar sua cota. É uma constatação relatada em depoimentos dos pescadores enviados às agências de turismo. Os empresários do setor que apostaram no segmento estão comemorando crescimento do pesque e solte a cada ano. “Os clientes, pais e filhos, pedem o fim da pesca esportiva e essa cobrança é ma ior entre os estra ngeiros. Só o governo não enxerga isso”, diz Raquel Amaral R ibeiro, que vai operar fevereiro com oito viagens em seus dois iates. Maior estrutura de pesca esportiva em água doce, Corumbá reaquece seu turismo no próximo mês com pelo menos 30% dos barcos-hotéis de volta ao Rio Paraguai. Antes do pesque e solte, o turismo de pesca cessava por quatro meses na piracema, desempregando cerca de três mil pessoas. Época também para manutenção e reparo das embarcações. “O longo período de inatividade representava gastos. Agora, temos um mês a mais para trabalhar”, afirma o empresário Geraldo Veríssimo Júnior, presidente da Acert (Associação Corumbaense das Empresas de Turismo). Ele liderou um movimento na região contra a lei de pesca em discussão na Assembleia Legislativa e apoia a cota zero para a pesca esportiva. Viagem fantástica O pesque e solte usa a mesma rota da pesca esportiva. Os barcos sobem o rio até a divisa com Mato Grosso, navegando cerca de 250 quilômetros, no coração do Pantanal. Região riquíssima em fauna e flora e águas transparentes, que abrigam o amazonense tucunaré. Conhecer a Serra do Amolar vale pelo passeio. O silêncio na natueza não tem preço! A agência Raquel Tur abre a temporada com os barcos Indiaporã II e Indiaporã III, com um total de 38 passageiros, a maioria de São Paulo, e opera o mês inteiro. O Albatroz, da empresa Arara Pantaneira, o Paola, da JDS Turismo, e o Millenium, do O Pantaneiro, saem na primeira semana. O Kayama Vip, da Joyce Tur, também vai operar por quatro semanas. Os barcos-hotéis oferecem todo conforto (camarotes com ar-condicionado), além de piloteiros experientes e conhecedores da região pantaneira. Os preços dos pacotes variam de R$ 2 mil a 2,5 mil por pessoa, incluindo todas as despesas (bebida, alimentação, isca, bote, combustível e translado). As agências oferecem descontos de até 15% para grupos. Serviço Para se informar sobre as agências de turismo que estão operando com o pesque e solte, no Pantanal de Corumbá, ligue para a Acert (3231.1541) ou Fundação de Turismo (3231.2886/3232.5221). Ou acesse os sites www.raqueltur.com e www.joycetur. com.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Perícia em MS amplia capacidade de realizar exames de DNA contra crimes
SEGURANÇA PÚBLICA

Perícia amplia realização de exames de DNA contra crimes

Corrente arrecada doações para circo que pegou fogo no Jardim Los Angeles
SOLIDARIEDADE

Corrente arrecada doações para circo que pegou fogo

Idoso tenta matar o próprio filho com espingarda na Capital
UM DIA DE FÚRIA

Idoso ameaça matar o próprio filho com espingarda

Ex-PM que furtou cadáver deixa presídio após aval da Justiça
CASO ROSILEI

Ex-PM que furtou cadáver deixa presídio após 6 dias

Mais Lidas